By: tudo jóia

O Paládio é um metal prateado-branco que faz parte do grupo da platina. Ele foi descoberto na América do Sul em 1803 por William Hyde Wollaston, um brilhante pesquisador que tem dentre suas contribuições à ciência, a descoberta do ródio além do paládio.

O Paládio tem sido usado como um metal precioso em jóias desde 1939, como uma alternativa à platina ou ouro branco. Porém, antes de 2004, o principal uso do paládio em jóias foi como uma liga na fabricação de jóias de ouro branco. A partir de 2004, quando os preços do ouro e da platina começaram a subir vertiginosamente, joalheiros chineses começaram a fabricar volumes significativos de jóias com o paládio.

Em 2008 a popularidade da jóia de paládio cresceu muito entre as maiores joalherias do mundo. Inicialmente, no mercado da joalheria nupcial, o paládio compôs linhas de anéis de noivado em razão de sua beleza, durabilidade e devido ao seu acabamento brilhante que permanece sempre o mesmo após anos. A indústria joalheira fez então um esforço conjunto de marketing para promover o novo “metal branco” em todo o mundo.

Como membro dos metais do grupo das platinas, o paládio compartilha muitos dos mesmos atributos da primeira. É um metal raro, hipoalergênico, de coloração branca naturalmente brilhante, durável, maleável e puro.

Há, entretanto, umas poucas diferenças entre o paládio e a platina: o primeiro é mais branco, 12,6% mais duro, o que significa que é extremamente apropriado para o uso constante e também é cerca de 40% menos denso que a platina. Outra notável diferença entre os dois metais, que não passa despercebida pelos joalheiros, é o custo que é bem menor em relação à platina. Para as jóias folheadas a grande vantagem é que o paládio não escurece, nem mancha.

Fonte: pedramistica.com.br

Envie para um amigo Envie para um amigo                                                     Imprimir esta Matéria Imprimir esta Matéria

Blog Widget by LinkWithinVitrine TUDO JÓIA